PERFIL

Formada em Licenciatura em Educação Artística pela Universidade de Brasília, Isabella Rovo transita por diversos ramos da Arte. Atua com música, artes plásticas, educação e cultura popular brasileira.

Na área musical, Isabella integrou o grupo Liga Tripa com o qual participou da gravação do CD comemorativo aos 30 anos de Brasilia e se apresentou no II Festival Latino Americano de Arte e Cultura na UnB em 1989. Também em Brasília atuou como cantora em casas noturnas ao lado do violonista Cacau Alencar. Entre 2000 e 2007 integrou as bandas: Zanmbê de ritmos tradicionais brasileiros e Quinteto Popular Brasil em Pirenópolis, Goiás

Integrante do Ponto de Cultura COEPi desde 1998, Isabella atua como arte educadora e produtora culturalCoordenou o bloco de carnaval Urgente Reciclar durante 6 anos em parceria com Vera Lucena, atuando como figurinista e porta bandeira do mesmo; dirigiu o grupo de dança Profusão Rítmica colocando em cena jovens e mestres de tradição oral unindo ritmos tradicionais goianos com dança de rua; fez produção de arte do curta metragem Cavalhadas de Pirenópolis de Roger Mello e direção de Adolfo Lachtermacher; roteirizou e dirigiu o espetáculo “Recriando com os Mestres” reunindo 50 crianças e mestres numa apresentação multimídia em parceria com o II Festival Internacional de Arte e Mídia - FAM

Durante dois anos na Nova Zelândia, 2008-9, desenvolveu intenso trabalho musical, formando as bandas Brazealand e Roda de Samba, com objetivo de divulgar a diversidade cultural brasileira num contexto performático e colaborativo, integrando brasileiros e neozelandeses. Integrou também o grupo de percussão Wellington Batucada, tocando, cantando e dançando em vários eventos no país. Integrou a equipe de produçao do Live Brasil Festival em 2009. 

De volta ao Brasil no inicio de 2010, produziu e apresentou Tributo aos 100 anos de Carmem Miranda no Festival Gastronômico de Pirenópolis e atuou como cantora no Tributo a Baden Powell, celebrando  os 10 anos de falecimento do mestre com a participação especial dos violonistas Nelson Latif e Bosco Oliveirano Cine Pireneus e no Teatro SESI / DF em junho de 2011.

Entre 2010 e 2012 participou do Quinteto Popular Brasil ao lado de Victor Batista, Ricardo Freitas, Eudimar Carvalho e Zé Krishna, interpretando ritmos tradicionais brasileiros. O grupo se apresentou no XII Festival Canto da Primavera 2011 em Pirenópolis e fez uma série de apresentações em Santiago do Chile em janeiro de 2012, entre elas no Centro Cultural da Embaixada do Brasil e no Museu Pablo Neruda. Viagem apoiada pelo Programa de Intercâmbio e Difusão Cultural do MinC. 

Desde 2012 integra e produz o grupo Camerata Caipira, com Victor Batista, Bosco Oliveira,Nelson Latif e Sandro Alves. O grupo participou do Festival WOMAD 2013 na Nova Zelândia. Realizou a temporada Circuito Cerrado em julho do mesmo ano, apresentando-se nas cidades de Pirenópolis, Goiânia, Taguatinga, Brasília e Chapada dos Veadeiros. Em 2014 lançou seu primeiro CD com apoio do Fundo de Arte e Cultura do Distrito Federal - FAC/DF no Teatro Silvio Barbato em Brasília, e apresentou-se também na Virada Cultural Paulista, no Festival Internacional de Folclore FIFAT e Canto da Primavera, ambos em Pirenópolis e no Brazilian Day de Sydney, na Austrália, onde realizou também shows na Embaixada do Brasil e no Festival Floriade em Canberra. 

Em 2015 o grupo produziu e coordenou o Projeto Sons do Patrimônio que percorreu 8 cidades históricas de Goiás, fazendo shows e entrevistas com músicos ligados às manifestações tradicionais do estado com apoio do Fundo de Arte e Cultura de Goiás. Apresentou-se por 4 anos consecutivos no Clube do Choro de Brasília. Em 2016 produziu e coordenou o projeto Circulação Brasil Central pelos estados de Goiás, Minas, Tocantins e DF com apoio do Fundo de Arte e Cultura do Distrito Federal - FAC/DF e o Projeto Sons do Patrimônio Além-Mar em 3 cidades de Portugal para pesquisa e divulgação da música brasileira, com apoio do Fundo de Arte e Cultura de Goiás. Agora o grupo trabalha em seu segundo CD sobre animais brasileiros voltado para o publico infantil.

Paralelamente, Isabella desenvolve trabalho solo com interpretação especialmente de sambas antigos de compositores que marcaram a história da música brasileira, apresentando-se em shows e rodas de samba e choro, acompanhada por músicos de Brasília, Pirenópolis e Goiânia. 

Ritaleena - sem efeitos colaterais


O show Ritaleena - sem efeitos colaterais faz uma retrospectiva de canções que marcaram a carreira daquela que eletrizou a história da música planetária brasileira. O nome do show surge do trocadilho com o polêmico medicamento e a rainha do rock Rita Lee, que acaba de lançar sua autobiografia revelando várias facetas dessa guerrilheira do desbum.
Isabella Rovo leva para o palco a atmosfera deleerante acompanhada por um time de músicos de peso: Bororó no baixo, Edson Arcanjo na guitarra, Rozinaldo Miranda no sax e flauta, Ricardo de Pina na bateria, Alê Rosa e Larissa de Paula nos vocais. O repertório passa por Mutantes, Tutti-Frutti e Roberto de Carvalho, fazendo o público viajar sem efeitos colaterais. 




 







Samba




  

Camerata Caipira na Nova Zelândia

Festival WOMAD
Concerto no Teatro Downstage para Embaixada do Brasil
Festa Brasil

Camerata Caipira

com Nelson Latif e Victor Batista

Quinteto Popular Brasil

Chile 2012 
 No Centro Cultural da Embaixada do Brasil em Santiago 
 La Barcaza
Museu Pablo Neruda em Isla Negra
Museu Pablo Neruda em Isla Negra
Museu Pablo Neruda em Isla Negra

Cárcere Colina II em Santiago do Chile


 Canto da Primavera 2011 Theatro de Pirenopolis
Canto da Primavera 2011 Theatro de Pirenopolis
 Centro de Artes Ita e Alaor Pirenopolis 2012
 Centro de Artes Ita e Alaor Pirenopolis 2012